Cabo Maciel denuncia maus tratos a policiais militares no município de Humaitá

QUARTA-FEIRA, 03 DE JULHO DE 2013

Áudio com as ofensas e humilhações feita pelo Major Luzeiro foi ouvido pelos deputados no Plenário da Assembleia Legislativa. A pedido, a denúncia será enviada a Secretária de Segurança Pública do Amazonas. Imagem

Dep. Cabo Maciel denuncia o sofrimento psicológico muito intenso sofrido pelos policiais de Humaitá

O deputado estadual Cabo Maciel (PR) utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALEAM) para apresentar denúncias recebidas de policiais militares que estão trabalhando em torno de 30 dias e recebendo apenas dez no mês, sistema esse de pagamento que, segundo ele, estaria prejudicando grande parte desses policiais militares deslocados para o interior do Estado. Prejudicial sim, disse Maciel, uma vez que só recebem cerca de 33% sobre o valor bruto que consta no recibo, ou seja, se um policial militar vai para o interior consta no recibo de pagamento que ele recebeu 30 diárias, mas somente lhes são depositados 10 diárias, um absurdo que deve ser apurado e os envolvidos punidos. O deputado Cabo Maciel apresentou dois áudios onde comprova a denúncia feita semana passada referente ao tratamento desumano e descortês por parte do comandante do 4° Batalhão de Policiamento de Humaitá – BPM (a 590 km de Manaus), major PM Luzeiro, contra os policiais militares desse município. “No áudio ele afirma que a instituição Polícia Militar não tem dinheiro para pagar diária ou então vai ter que transferir pessoal, além de ofendê-los com palavras de baixo calão”, denunciou. MajorLuzeiro_zps4719c89b

Major Luzeiro ofende e humilha pais de família

De acordo com Maciel esse áudio foi gravado em um auditório onde, o major reuniu com os militares em sua maioria pais de famílias utilizando essas palavras e ameaçando-os de transferência porque a informação que ele tem é a de que o Estado tem apenas R$ 300 mil para ser utilizado no pagamento de diárias. “Os policiais são ameaçados na formatura, além de criar uma guerra contra os policiais universitários para que se adéquem à escala de serviços com a da faculdade. A perseguição é tanta que ele transfere o policial por determinados dias a outro município para que falte às aulas na faculdade, afirmando que ele nunca estudou e que estudo não leva ninguém para frente, prejudicando a categoria numa falta de respeito aos policiais e famílias”, denunciou revoltado Maciel. Em vista dessa situação, Maciel pediu do Comando-Geral da PM a retirada do major Luzeiro do comando do Batalhão por conduta irregular contra esses profissionais “que estão lá para dar segurança ao povo e não serem maltratados por seu comandante”.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s